O segredo é comer mais peixe

O segredo é comer mais peixe

O segredo é comer mais peixe

Na preferência do brasileiro, ele pode não ocupar o lugar de principal destaque; mas deveria. O peixe é, hoje, a terceira opção, no nosso cardápio do dia a dia, perdendo para a carne bovina e a de frango, respectivamente. Um brasileiro ingeri, durante um ano inteiro, cerca de 40 quilos de carne de boi e frango, enquanto a ingestão de peixe é de pouco mais de 9 quilos, quando a recomendação oficial das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação é que esse número fique na casa dos 16 quilos, por ano.

Na verdade, a quantidade de peixe ingerida por um brasileiro também varia conforme a região do país. No norte e nordeste, por exemplo, a tendência é que esse número, dividido por habitantes, seja proporcionalmente maior do que o encontrado no sudeste, já que a oferta e o acesso ao pescado são muito maiores nessas regiões.

Os peixes esbanjam nutrientes, são carnes magras e em termos de proteínas, vitaminas e minerais, eles não deixam nada a dever, em relação às outras carnes. Muito pelo contrário, os peixes ainda são extremamente ricos em um componente que ajuda e protege o nosso coração: o ômega 3, um ácido graxo que auxilia na diminuição dos níveis de triglicerídios e colesterol ruim (LDL), enquanto favorece o aumento do colesterol bom (HDL).

Além de todo o benefício para a saúde, o peixe pode deixar seu menu muito mais variado, se contarmos com todas as espécies que nadam nas bacias brasileiras. Só na região centro-oeste, por exemplo, há mais de 200 espécies habitantes, o que contribuiu para que o peixe se tornasse um importante pilar da cozinha pantaneira. Dentre os mais procurados, o pintado, o pacu e o dourado se destacam como preferências da população do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O sabor também se revela uma ótima surpresa na carne dos peixes de rio, que são ligeiramente mais suaves e apresentam um sabor inconfundível!