O papel dos peixes, na cozinha do pantanal

A culinária do pantanal carrega, consigo, muitos vestígios dos povos que construíram a região, fazendo dela, o que é, hoje. Por isso, não é incomum encontrarmos pratos de origem argentina, paraguaia e espanhola, por exemplo.

Mesmo assim, nos dias de hoje, é o peixe, pescado e preparado na região, pelas mãos de pescadores e donas de casa e restaurantes (em grande parte, de barcos hotéis), que dita a regra no cardápio pantaneiro.

Com opções para todos os paladares, a culinária dessa região do Brasil reserva pratos e uma infinidade de sabores oriundos dos vertebrados que lá habitam. Dentre eles, os mais comuns são o Pacu, o Pirarucu, o Tambaqui, o Pintado, o Cachara e o Piraputanga, entre tantos outros… Seu preparo costuma encher a boca de todos, estejam eles crus, fritos, cozidos ou assados.

Mas há, também, outros pratos e complementos que compõem as especialidades da região, como, por exemplo, a farofa com banana. Complemento típico de quase todos os pratos do Pantanal. A famosa galinhada, feita com todo o cuidado e simbolismo, em panela de barro, e a quentinha Maria-Isabel, feita a base de arroz e carne seca.

Entre as sobremesas, se destacam o Furrundu, de mamão ralado com rapadura, o doce de cajú em calda e um bolo de polvilho regado a queijo, só para citar alguns…